Devo viajar mesmo sabendo do surto do coronavírus no Brasil e no mundo?

Os casos de COVID-19, doença causada pelo coronavírus que surgiu em dezembro de 2019 na China, vem aumentando significativamente no mundo e no Brasil, sendo considerada em 11 de Março de 2020 uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde.

Isso tem deixado muitos viajantes aflitos, buscando entender o que é coronavírus, como ele é transmitido, como previnir e principalmente com a dúvida “E agora? Devo cancelar minha viagem?”.

Pensando nisso, no dia 12 de Março de 2020 entrevistamos Dra. Tassiana Galvão que é médica infectologista para esclarecer essas e outras dúvidas em relação ao coronavírus e viagem.

Neste artigo compartilharemos diversos assuntos em relação ao vírus e viagens que foram discutidos na entrevista.

Fique a vontade para ir diretamente ao tópico desejado, ou se preferir, assista ou ouça a live completa aqui.

Dúvidas frequentes em relação ao coronavírus

O que é coronavírus?

O coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias e é conhecida há décadas por estar presente em alguns animais.
Este novo coronavírus que surgiu em Dezembro de 2019 na China, é o SARS-CoV-2 cujo a doença respiratória que ele causa é o COVID-19.

Como o coronavírus é transmitido?

O coronavírus é transmitido através de:
– Gotículas respiratórias durante a tosse, fala e espirro.
– Contato com as mãos, objetos e superfícies contaminadas.

Em média, quantas pessoas podem ser infectadas por cada pessoa diagnosticada com COVID-19?

Uma pessoa diagnosticada com COVID-19 acaba transmitindo a doença para uma média de 2 a 3 pessoas.
Apenas como referência, o Influenza é transmitido em média para 1.5 a 2 pessoas. Já o sarampo que é considerado um vírus mais grave é transmitido para uma média de 15 pessoas.

Coronavírus é grave?

Em geral não, mas o vírus pode ter consequências mais graves para as pessoas que estão no grupo de risco, podendo inclusive levar ao óbito. Devemos estar atentos mas não há necessidade de entrar em pânico.

Quem está no grupo de risco para o coronavírus?

São considerados parte do grupo de risco:
– Idosos à partir dos 60 anos
– Pessoas com doenças pulmonares (pneumopatas, asma grave, enfisema, lesão no pulmão por conta do tabagismo, etc.)
– Pessoas com problemas cardíacos (pressão alta, infarto prévio, arritmia, angina)
– Diabéticos
– Imunossuprimidos (Tratamento de quimioterapia, transplantados, pessoas com CD4 baixo)
– Pessoas com obesidade mórbida
Vale reforçar que grávidas e crianças não estão no grupo de risco do coronavírus.

Como previnir o contágio por coronavírus?

– Lave as mãos por pelo menos 20 segundos
– Etiqueta respiratória
– Utilizar álcool em gel (acima de 65/70%), ele age por mais tempo que o líquido e por isso é o recomendado
– Mantenha uma distância de 1 a 2 metros das pessoas
– Evite abraços, beijos, apertos de mão
– Esterilize equipamentos eletrônicos como o celular, computadores compartilhados, etc
– Mantenha-se em ambientes ventilados
Importante: a máscara é recomendada para quem está contaminado com o vírus, ela não chega a ser uma medida de prevenção.

Quais os sintomas do coronavírus?

Os sintomas do coronavírus são: febre, secreção nasal, dor de garganta, tosse, dificuldade para respirar, mal-estar, fraqueza, dor muscular, insuficiência renal.
Esses sintomas porém, também são comuns em outros quadros e vírus, o que pode dificultar um pouco o diagnóstico.
Muitas pessoas, principalmente na faixa etária infantil de até 10 anos não possuem sintomas.

Dicas de boas práticas para lidar com a pandemia do coronavírus:

Dicas de prevenção do coronavírus COVID-19


Previna o contágio pelo coronavírus

  • Lave as mãos por pelo menos 20 segundos
  • Pratique a etiqueta respiratória cobrindo a boca e o nariz com sua fossa cubital (região triangular anterior ao cotovelo) ou um lenço descartável ao espirrar ou tossir. Nada de cobrir com as mãos viu!
  • Utilizar álcool em gel (acima de 65/70%), ele age por mais tempo que o líquido e por isso é o recomendado
  • Mantenha uma distância de 1 a 2 metros das pessoas e evite abraços, beijos, apertos de mão
  • Esterilize equipamentos eletrônicos como o celular, computadores compartilhados, etc
  • Mantenha-se em ambientes ventilados


Importante: a máscara é recomendada apenas para quem está contaminado com o vírus, ela não chega a ser uma medida de prevenção.

Pense como comunidade

É importante lembrar que todos podemos ser transmissores da doença, portanto independente de estamos no grupo de risco ou não, temos que estar conscientes de que nossas decisões e ações podem impactar as pessoas ao nosso redor.

Vamos pensar em sociedade e não apenas como indivíduo.

Busque atendimento médico se realmente houver necessidade

Espera-se que os casos no Brasil aumentem nas próximas semanas, com isso, é provável que haja superlotação nos hospitais e postos de saúde.

Pensando no coletivo, vale ir ao hospital ou pronto socorro para atendimentos apenas se houver uma necessidade real.

Evite aglomerações

Evite lugares com muitas pessoas como eventos, transporte público, aeroportos, e busque trabalhar de casa.

Sabemos que isso nem sempre é possível, principalmente considerando a realidade do povo brasileiro, mas de qualquer maneira, achamos importante colocar essa informação.

Confirme a veracidade das informações antes de compartilhá-las nas redes sociais

Valide sempre as informações antes de compartilhá-las nas redes sociais.

Em época de fake news, devemos ter responsabilidade também nas informações que divulgamos.

Esses são alguns dos sites confiáveis e recomendados para consultar informações sobre o coronavírus:

Organização Mundial da Saúde

Embora as informações no site da Organização Mundial da Saúde esteja em inglês, esta é a principal fonte para informações atualizadas sobre o coronavírus no mundo.

CDC (Centers for Disease Control and Prevention)

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) também oferece informações e dicas de prevenção em relação ao coronavírus.

Coronavírus – SUS

Este é um aplicativo de celular criado pelo Ministério da Saúde que auxilia os usuários a identificaram se estão contaminados pelo COVID-19, se precisam de atendimento médico, e aponta os locais mais próximos para atendimento.

IATA (International Air Transport Authorization)

No site da IATA é possível acompanhar quais países estão fechando fronteiras ou que pedem quarentena para visitantes ou residentes que passaram por países de risco recentemente.

Coronavírus e viagem

Coronavírus - Devo cancelar viagem?

Muitas pessoas estão na dúvida se devem ou não cancelar suas viagens programadas para os próximos meses.

Cada um tem uma realidade e tem casos em que as pessoas realmente precisam viajar.

É fundamental que todos tenham ciência dos riscos e benefícios que possuem com essa decisão. Como disse a Dra. Tassiana Galvão durante a entrevista:

“Não tem dinheiro que pague nossa saúde”.

Confira abaixo os riscos que você deve considerar antes de decidir viajar:

Riscos para viagens durante o surto do coronavírus

Cancelamento de vôos: Muitos países estão cancelando vôos vindos de alguns da Europa por exemplo. E nada impede que dependendo de como o surto evolua no Brasil, países decidam cancelar vôos vindos daqui.

Fechamento de fronteiras: Os viajantes ficam sujeitos às medidas restritivas que serão tomadas pelo destino visitado, isso pode resultar na impossibilidade de retorno ao país de origem por um determinado período de tempo.

Pontos turísticos fechados: Vários pontos turísticos estão fechando por serem pontos fortes de transmissão do vírus. Já vimos algumas notícias de fechamento de parques da Disney, monumentos na Itália, entre outros.

Seguro viagem sem cobertura para coronavírus: Salvo algumas exceções (falaremos mais sobre isso abaixo), a maioria das seguradoras não oferecem cobertura para doenças classificadas como pandemia, geralmente cobrem apenas o primeiro atendimento onde o COVID-19 é diagnosticado.

Maior exposição ao risco: Viajantes transitam com frequência em ambientes com maior chance de contágio do vírus, como em pontos turísticos e aeroportos.

Risco financeiro: Viajar com dinheiro contado neste momento também é um risco. Imagine ficar impossibilitado de sair de um destino onde o Real é uma moeda desvalorizada, tendo que arcar com custos além dos previstos.

Seguro viagem cobre coronavírus?

Embora existam algumas exceções, grande parte das seguradoras cobrem apenas o primeiro atendimento até confirmação de que o viajante esteja com coronavírus.

Por isso, tome cuidado redobrado na hora de contratar seu seguro viagem.

Atualmente sabemos que dentro da plataforma de comparativo de preços de seguro viagem, a Seguros Promo, apenas a empresa Assist Card oferece cobertura no tratamento do coronavírus.

Clique aqui e garanta seu cupom de desconto da Seguros Promo!

Mas afinal, devo cancelar minha viagem?

O ideal é não cancelar as viagens, e sim adiá-las.

Infelizmente a pandemia afetará milhares de empregos ao redor do mundo, então ao adiar as viagens a gente minimiza esse impacto econômico que o setor turístico sofrerá.

É recomendado o adiamento de viagens para destinos com alto risco de contágio como China, Itália, Irã e Coréia do Sul e de pessoas com sintomas do COVID-19

Alguns países como França, Alemanha, Espanha e Estados Unidos devem ser evitados principalmente pelas pessoas que fazem parte do grupo de risco.

O risco no caso de viagens para países da América do Sul e dentro do Brasil é menor.

Vale lembrar que devemos cuidar para não desencadearmos o vírus no país de destino.

Como proceder no caso de adiamento ou cancelamento de viagem devido ao coronavírus?

Muitas empresas do setor turístico já estão com políticas de cancelamento e reagendamento por conta da pandemia.

Caso encontre dificuldade, vale pedir ajuda ao Procon.

Segundo Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP a saúde é um direito básico de todo consumidor e por isso no caso de pandemia há o direito de cancelar a viagem.




O vírus vai passar, esta é apenas uma fase. Não é necessário pânico, apenas medidas de atenção e preventivas, que valem não só pelo risco de contágio de coronavírus, mas de outras doenças também.

Deixo aqui um super agradecimento a Dra. Tassiana que se mostrou disponível para nos ajudar com informações tão completas e importantes!

Tem mais alguma dica? Compartilhe com a gente nos comentários.



Sobre a Dra. Tassiana Galvão e o @Casal.Infecto

Coronavírus e Viagem - Entrevista com Casal Infecto

A Dra. Tassiana Galvão é médica infectologista pela UNESP com mestrado na mesma instituição e pós graduanda em infecção hospitalar, além de membro da Sociedade Brasileira de Infectologia.

Junto ao seu marido Dr. Danilo Galvão, criou o Instagram @canal.infecto com o objetivo de falar sobre o mundo da infectologia e suas vertentes, com informações de fácil acesso e baseadas em evidências científicas.


Leia também:

Medicina do Viajante: Dicas para manter a saúde durante a viagem